UCT Digital

Home » UCT Digital » Notícias » Prefeita de Paris aposta no transporte público gratuito para combater poluição

notícias

20/03/2018

Prefeita de Paris aposta no transporte público gratuito para combater poluição

A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, apresentou um projeto que visa estudar a implantação da tarifa zero na capital francesa. A espanhola, filha de imigrantes, preside também o C40, uma organização que reúne as 92 maiores cidades do mundo.

A iniciativa tem como objetivo proteger o meio ambiente. O sistema de transporte por ônibus em Paris transporta 1,3 bilhões de passageiros por ano, em uma rede de 353 linhas e é operado pela RATP (Régie Autonome des Transports Parisiens), segundo o site ParisMap.

Uma comissão especializada foi montada para pensar um modelo econômico viável para aplicação da ideia, já que essa rede fatura 3,8 bilhão de euros anualmente.

Paris, que vai receber os Jogos Olímpicos em 2024, segue a tendência da Alemanha. Lá, cinco cidades também estudam a implantação do transporte gratuito: Bona, Essen, Herrenberg, Reutlingen e Mannheim.

“Em uma metrópole como Paris, mais de 60% da população não têm carro, utilizam o transporte coletivo, o sistema de carros elétricos compartilhados, de bicicletas. É uma causa fundamental para o planeta: a da mudança climática e da qualidade do ar, a da saúde pública para que nossas crianças, as pessoas idosas e quem sofre de problemas respiratórios possam viver nas cidades sem se envenenar.”

Anne Hidalgo, em entrevista para o El País.

Tendência verde

Cada vez mais, o mundo se preocupa com a sustentabilidade do planeta, e as soluções, por mais distantes que possam parecer, são tendências globais que, cedo ou tarde batem, à nossa porta.

Por isso, vale a pena dar uma conferida nos “17 objetivos para transformar o mundo”, principalmente o item 11, “Cidades e comunidades sustentáveis”, que aborda o transporte público.

Há de se destacar  também que a realidade de Paris e de outras cidades europeias é muito diferente do cenário brasileiro, não é mesmo, rodoviário? Mas esses exemplos de fora servem para repensar modelos adotados aqui e, quem sabe, aprofundar ainda mais a análise sobre novas alternativas.

E, por fim, para entender melhor a questão das tarifas do transporte público nacional, a UCT recomenda dois artigos para estimular a reflexão:

As prefeituras não precisam aumentar a tarifa de ônibus todo ano

Transporte e tecnologia: onde será a próxima parada?