Autodesenvolvimento

Home » Autodesenvolvimento » UCT Recomenda » Como o RH deve atuar na Reforma Trabalhista

UCT Recomenda

30/10/2017

Como o RH deve atuar na Reforma Trabalhista

*Atualizado em 16/11/2017

Entrou em vigor, a lei nº 13.467/2017, que muda mais de 100 pontos na Consolidação das Leis de Trabalho (CLT). Conheça o que muda com a nova Medida Provisória que regulamenta itens pendentes na Reforma Trabalhista.

A Reforma está gerando discussões, com diversos pontos de vista.

Juízes, fiscais do Trabalho, membros do Ministério Público e sindicatos manifestaram que não irão cumprir a lei. Do outro lado, empresários e parte dos especialistas da área jurídica aprovam as mudanças.

Neste momento de intenso debate, as equipes de RH precisam agir com racionalidade. Aqui vão algumas dicas elaboradas pela ABRH Brasil:

1. Cautela
– Avalie cada medida que pretende adotar em sua organização. Procure antecipar que repercussões a medida provocará.
– Custeie cada medida (hoje e no futuro).
– Analise se a medida provocará reações em outras filiais.
– Avalie se a medida influenciará situações em outras empresas.

2. Avalie a posição dos sindicatos dos trabalhadores e patronal
– Saiba qual é o posicionamento do sindicato a respeito da medida.
– Veja se a medida já não está prevista na Convenção em vigor.
– Lembre-se de que a Convenção tem prazo de duração e deve ser cumprida.
– Entenda que obter a concordância do sindicato não desmerece a empresa.

3. Estude o “direito adquirido” (artigo 468 da CLT)
– Avalie a forma de implantação da medida.
– Atente que uma alteração abrupta, que cause prejuízo (direto ou indireto) aos colaboradores, pode levar a reclamações trabalhistas.
– Confira o que pode e o que não pode ser alterado de pronto.

4. Intensifique a comunicação franca e aberta com os colaboradores
– Crie (ou lubrifique) os canais de comunicação cotidiana.
– Capte e sinta os efetivos anseios dos colaboradores.
– Solicite aos gerentes que estejam costumeiramente presentes para ouvir e dar respostas.

5. Prepare os líderes de primeiro nível para:
– Ouvir e aconselhar os colaboradores.
– Sentir o “cheiro de fumaça”, ou seja, perceber quando algo não está bom.
– Saber avaliar desempenhos e corrigir desvios com maturidade.
– Promover o diálogo sincero, que é sempre o melhor caminho.

Fonte: ABRH-Brasil

Leia também:

Impacto da Reforma Trabalhista para o RH

Entendendo a Reforma Trabalhista